Todos aqueles que possuem sentimentos nobres como amor, solidariedade, humildade e principalmente caridade são bem vindos.
Precisando conversar e/ou receber um passe energético (benzer) estou à disposição todos os dias, para jogar cartas (ler a sorte) somente com hora marcada.
Cobro apenas para ler as cartas R$ 70,00, para manutenção de nossa casa. Qualquer outro tipo de consulta não pode ser cobrada pois na verdadeira caridade não se coloca preço, a verdadeira caridade quem paga é Deus.
Endereço: Rua 22 nº 281 Jardim Morada do Sol Indaiatuba - SP
trabalho assistencial toda sexta feira às 20:00
telefone: 19 995829299
email: d12edani@gmail.com
PEÇO POR GENTILEZA QUE NÃO VENHAM ME PROCURAR PARA FAZER AMARRAÇÃO OU MAGIA BAIXA NÃO ACEITO FAZER ISSO POR DINHEIRO NENHUM DO MUNDO
AGORA SE FOR PRA DESMANCHAR AMARRAÇÃO OU MAGIA BAIXA VENHA CONVERSAR COMIGO

Receba as novidades por email

Translate

terça-feira, 21 de outubro de 2014

DESCUBRA SEU PROPOSITO



A vida precisa de propósitos?

Descubra o seu propósito... O que você vai ser quando crescer... O porquê dos porquês... Estas frases sempre me acompanharam por muito tempo, até entender que a vida não P-R-E-C-I-S-A de um sentido que faça sentido para fora, mas sim para dentro.

Com certeza você já leu textos que dizem, leia mais, assista menos TV, sorria mais, seja feliz, tenha metas, planeje, acorde cedo, coma melhor, faça uma atividade física, reflita, tenha um diário... Verdadeiras listas de como viver mais e melhor. Mas quem inventou estas listas mesmo? E será que estas “regras de ouro” cabem na mina vida?

A vida que faz sentido é aquela que é excêntrica que é espontânea que só têm sentido para uma única pessoa: quem a vive!

Quando nascemos ganhamos de presente toda a expectativa que nossos pais projetam em nosso futuro, e com o passar dos anos não só a herança familiar, mas também os dogmas impostos pela sociedade. Estude, tenha um trabalho, seja bem sucedido, case-se, tenha filhos e novamente uma relação de tarefas a cumprir sabe lá para que e por que. Assim alguns acreditando que assim encontrarão o sentido para suas vidas, desperdiçam tempo e energia na busca deste tal sentido...

Poucas pessoas se permitem fazer a seguinte pergunta: Qual é o MEU maior sonho? O que de fato EU quero ser... Aquela velha máxima que ser não é ter e o ter implica em resignar-se diante de algo ou alguém.

Acredito que o ser humano é dotado de uma capacidade que eu aprecio muito, a tal da resiliência... E quanto mais experiências vividas maior a capacidade de adaptar-se ao novo, de expandir as possibilidades e enxergar novos caminhos, de se permitir.

Tenho profunda admiração por pessoas que erram e fazem dos seus erros seus melhores “conselheiros”. A maioria das pessoas tem medo do erro ou se envergonham deles, na verdade o erro é o maior catalisador que eu conheço, o erro faz parte do processo da vida, sem o erro não descobríramos o que faz sentido.

O que pensamos determina nossa jornada e a qualidade do pensamento determina nossos propósitos. Preocupar-se menos é um dos fatos que elevam nossa satisfação em viver. Porque livrar-se de crenças sem fundamento é tão assustador para alguns?

O olhar para dentro é tarefa difícil, às vezes é mais fácil seguir as “listinhas” de recomendações de como viver. Libertar-se dos limites, como se faz isso? O céu definitivamente não é o limite, a mente sim nos limita, esta determina nosso propósito. Aprendemos com as experiências, com os erros e podemos fazer o que quisermos se deixar que as possibilidades se abram. Respeitar a si mesmo, ser fiel ao nosso íntimo, apreciar e dar voz aos sentimentos e afetos mais sem sentido, os mais esquisitos aqueles que não contamos a ninguém.

Perdoar a si mesmo, por ter permitido se aprisionar em crenças e conceitos que nunca lhe couberam. Perdoar é deixar ir e perceber que o prisioneiro o tempo todo era você. Não se prenda ao passado, aprenda com ele. Não há melhor maneira de aprender do que ensinar é uma experiência esclarecedora para ampliar os conhecidos, coisas novas surgiram. Nosso cérebro se acostuma com a estagnação de idéias, crenças, pessoas, lugares. A estagnação nos limita.

O propósito está dentro de cada um. Permita-se!

Provoque-se!

Por Bruna Barbalho

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

BAIANOS

Linha de trabalho muito agradável, composta de espíritos extremamente amigos. Os baianos na linha de umbanda trabalham com todo tipo de energia eles são destemidos, estão nessa linha para evoluírem cada vez mais através do amor ao próximo.
Adoram trabalhar desfazendo as correntes negativas, quebrando demandas e aconselhar os consulentes quanto ao bom viver.
Geralmente as entidades desta linha possuem uma historia de muita luta e provações e buscam com ela ensinar aos consulente como passar por suas próprias lutas e provações.
Dançam não apenas para quebrar mandinga ou energias ruins, mais também porque através da dança se conectam ainda mais ao seu médium e como disse são espíritos alegres festeiros então o dançar é natural desta linha.
São trabalhadores ocultos, num papo legal, numa "bicadinha"  na bebida, numa pisada de pé ou num quebrar de coco eles realizam magias que somente quem tem a sensibilidade consegue enxergar.
Suas cores são o amarelo ou marrom, trabalham muito na linha de Xango fazendo a justiça e Iansã (junto com os boiadeiros) fazendo a limpeza mais densa do terreiro e consulentes.
Gostam de beber durante os trabalhos bebidas quentes, pois são uma linha de trabalho do fogo, então pinga, batidas principalmente a de coco são agradáveis a esta linha, ainda assim encontramos alguns que gostam de beber água de coco ou cerveja (marambaia). Suas comidas geralmente são simples e fartas e que alimentam a todos de uma só vez como exemplo a farofa com bastante linguiça e carne seca ou o famoso jabá (carne seca acebolada com farinha amarela).
Suas guias de trabalho são feitas geralmente com contas amarelas e elementos da natureza, sementes, madeira, palha da costa.
Seus pontos cantados retratam a coragem, a força e a determinação desta linha em lutar contra as investidas das trevas e transformar a vida dos seus tutelados em um caminho de paz, coragem e harmonia.

Baiano é povo bom é povo trabalhador;
Quem mexe com baiano mexe com Nosso Senhor.
Baiano porque bebe sou baiano e bebo sim;
O fundo da garrafa tá quebrada e os baianos não beberam nada.

Saravá a linha dos baianos

Dani Ramos e Mestre Zé

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

MENSAGENS

Que os ventos de Iansã possa levar tudo o que nos faz mal.
Toda soberba, inveja, ganância, hostilidade, fraqueza, enfim,  tudo o que nos atrase.
Quue possa ficar o amor ao próximo, a benevolência, a caridade, o amor a si mesmo
Que fique a gratidão por nossa vida, por mais um dia poder acordar, ver o brilho do sol
O som das aves. Poder ver as maravilhas que o Pai Maior nos dá a cada manhã.
Mesmo aqueles que não possuem mais a visão possa contemplar cada amanhecer e entardecer....

Que Olorum possa abençoar mais a vida de cada um que por aqui passar.....
Joyce Lameu

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

NOSSA RAIZ

Dona Rosa Andreolli, Rosa de Ouro. Nossa vó de santo, onde a nossa querida Mãe Sonia aprendeu tudo o que sabe. 

SER UMBANDISTA

Ser umbandista não é pra qualquer um, ser umbandista exige muita dedicação e disciplina. 
Ser umbandista não é apenas chegar nos dias de trabalho, vestir o branco, incorporar, cambonar, cantar e bater palmas. Não, ser umbandista é muito mais que isto.
É fácil ir aos trabalhos quando se está disposto, com vontade, pois tudo que temos disposição para fazer é fácil. Porem passa um tempo e muita coisa já não é mais novidade, os irmãos ja se acostumaram com você, a mãe/pai já te vê como parte integrante da casa e já não te dá mais tanta atenção pois novos membros absorvem esta atenção. 
Tem aqueles membros que desanimam logo no inicio, seja porque o desenvolvimento vai demorar ou porque esta cheio de duvidas, entre outras particularidades.
E ainda tem aqueles que arrumam desculpas do tipo estudo, filhos, distancia, trabalho, não tenho tempo, enfim são varias as justificativas que encontramos entre os médiuns de uma casa de Umbanda, pois como disse ser umbandista não é pra qualquer um.
A Umbanda é amor, caridade, simplicidade e humildade. Dentro da doutrina temos os espíritos que nos auxiliam e que devemos nos espelhar. 
Então quando um médium arruma desculpas para não mais frequentar seu templo ou ser da umbanda, é simplesmente porque este médium não visualiza as linhas de trabalho como fonte de evolução.
Vejam os mentores como modelos, busquem nos dias de trabalho aprender e aplicar todas estas qualidades. Busque, mais busque de verdade com fé e determinação:
Ser corajoso e nobre como os caboclos.
Ser humilde e caridoso como os pretos velhos.
Ser puro e verdadeiro como os eres.
Ser persistente e solidário como os baianos.
Ser amoroso e positivo como os marinheiros.
Ser vaidoso e sincero como pomba gira.
Ser honesto e guerreiro como exu.
Ser esperto e inteligente como exu mirim.
Perceba que em todos os lugares as giras são chamadas de trabalho, porque trabalho? 
Porque estamos trabalhando todos os dias em prol do bem maior. E nossa recompensa é a evolução.
E todo aquele que quer se destacar no trabalho na profissão que exerce, procura ser sempre o melhor, procura não faltar, respeita seus colegas de trabalho, etc..
O trabalho na umbanda é a mesma coisa a unica diferença é que o pagamento é em evolução, paz e alegria.
Reflitam, se organizem, tracem um objetivo espiritual e terão muito sucesso. 
Que os Orixás os ajudem a:
Serem corajosos e nobres como os caboclos.
Serem humildes e caridosos como os pretos velhos.
Serem puros e verdadeiros como os eres.
Serem persistentes e solidários como os baianos.
Serem amorosos e positivos como os marinheiros.
Serem vaidosos e sinceros como pomba gira.
Serem honestos e guerreiros como exu.
Serem espertos e inteligentes como exu mirim.


Axé
escrito por: Danieli Ramos 
inspirado por: Mestre Zé

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Dia das crianças

Felizes por fazermos alguns anjinhos felizes. Obrigada pela colaboração.
Doação de brinquedos para ABID

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

ESCOLA DE UMBANDA

Pois é, hoje é muito comum ouvir-se o termo escola de umbanda, umbanda a distancia, estudo básico de umbanda. Já passei por vários deles e o único que me satisfez foi a umbanda raiz, a umbanda ensinada pela minha mãe, a umbanda ensinada pelos mentores espirituais a minha bisavó.
Hoje tenta se codificar a umbanda, explicar os orixás, explicar as manifestações espirituais, tenta se padronizar a umbanda. Mais a umbanda não pode ser padronizada pois é impossível padronizar o comportamento dos espíritos, impossível padronizar os orixás que são essências manifestações divinas expressadas através de seres de mundos superiores.
Umbanda é amor, caridade e simplicidade. Umbanda é o próximo auxiliando o próximo, é a vida em movimento, é a manifestação dos poderes da natureza representados através dos orixás. 
Quem conhece esta umbanda, umbanda de raiz, nunca mais esquece. 
Os cursos de umbanda são apenas opiniões manifestadas por dirigentes espirituais, sobre a sua própria raiz, alguns com mais pompas e confetes que outros, mais ainda assim são opiniões, são verdades individuais que se aplicam a determinados grupos de pessoas.
Vamos pensar um pouco: como pode alguém independente do tempo de trabalho e conhecimento na umbanda fazer um curso de 2 anos e receber um titulo de sacerdote? 
É muito sério este cargo, é muita responsabilidade, são vidas espirituais que este suposto sacerdote irá cuidar, até onde a espiritualidade deste sacerdote esta preparada e pior ainda até onde este ser humano esta espiritualmente preparado para assumir esta responsabilidade???
Ai ouvimos as expressões: "eu sei benzer porque fiz um curso de benzimento", "eu faço magia porque fiz um curso de magia", "eu sou sacerdote (isa) porque fiz um curso e me formei".
Onde estão os mentores espirituais nesta historia toda??? 
Nos terreiros de raiz ouvimos: "meu preto velho me ensinou a benzer", "meu exu me ensinou a fazer uma magia com fogo para cura espiritual", "eu estou a treze anos na umbanda e não me sinto preparado para ser um sacerdote (isa)", "só fui consagrado sacerdote (isa) após muito tempo de trabalho e aprendizado".
Esse despreparo faz com que muitas pessoas acabem errando achando que está fazendo o certo, está tirando o calor humano o envolvimento espiritual entre médium e sacerdotes, a expressão médium e sacerdote já mostra a distancia que se tem nos terreiros hoje, antigamente se ouvia filhos/filhas e pais/mães de santo. 
Hoje a relação é muito impessoal, cada um por si, eu te ensino o que é, o que esta escrito e o resto é por sua conta, seus mentores tem obrigação de te ensinar. 
Nãooooooooo nãooooo os mentores espirituais não tem obrigação, quem tem obrigação é o sacerdote (isa) de cuidar daquele médium/filho de santo, de ensinar a manifestar os mentores, entender esta manifestação e só depois aprender com esses mentores. Por isso sou a favor do termo mãe/pai filho/filha pois quem dirige um terreiro tem total responsabilidade por aqueles que frequentam, como uma família onde a mãe/pai ensina a engatinhar, depois andar, correr e por fim só no final a andar de bicicleta, para que quando for adulto possa tirar licença e ter seu próprio carro. É um exemplo muito simples de como é um terreiro que tem raiz, que tem sua base nos ensinamentos dos espíritos e não dos encarnados.
Quanto misticismo não existe nesses lugares? Quantos animismos? Quantos espíritos zombeteiros?
O estudo é muito importante sim, a leitura, os debates, porém o primordial é o aprendizado espiritual, é as experiencias vividas, é a raiz, onde estudando toda a historia dos antigos aprendemos que o caminho não é rápido nem fácil e sim lento e complicado, porém com muitas gratificações e emoções pelo caminho.
Não é uma critica e sim um ponto de vista para reflexão, quem não conhece um terreiro de raiz vá conhecer, desvende seus mistérios, descubra sua magia, deixe os livros e escritos por mãos carnais de lado não irão se arrepender.
Segue um ponto antigo para ser interpretado, só uma dica: "resume tudo que escrevi"

Se pensas que o céu é perto e as mão podem alcançar
Os anjos vão dar risada do tombo que vais levar
50 carros de lenha pra cozinhar meu jabá 
A lenha já se acabou e o jabá?
Ta pra cozinhar!

Saravá a Bahia.


escrito por: Danieli Ramos 
inspirado por: Mestre Zé

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Arrecadação Julho

Pessoal vamos ajudar se precisar é só comentar que vamos buscar as doações!

Kao Kabecile meu Pai

Xangô orixá da justiça!
As lendas de Xangô nos falam muito sobre este orixá, popularmente é ligado a justiça porém é muito mais que isso, Xangô além de ser o rei da justiça é um guerreiro, um Pai benevolente para seus filhos, enfim aquele que carrega o machado de dois lados, que nunca erra.
Xangô foi um dos primeiros Deuses Iorubas a chegar no Brasil, portanto é o principal tronco dos candomblés no Brasil.  Xangô é o pai da justiça,ele é o rei dos trovões e das pedreiras, é guerreiro.Podemos também dizer que Xangô é entre os deuses masculinos africanos, o mais  vaidoso.
Ele rege a força da natureza que nos faz ter vontade, iniciativa, rigidez, trabalho e decisão. Ele é quem nos organiza e nos guia para que possamos por em prática nossos ideais.
Xangô é o espirito forte e nobre das pessoas!
Xangô é o patrono várias profissões tais como: juízes, promotores, advogados, senadores, jornalistas, entre outras.
No sincretismo associou-se o Xangô das Pedreiras a São Jerônimo, aquele que amansa o leão, que tem o poder da escrita e o livro onde escreve na pedra suas leis e seus julgamentos.Protetor dos intelectuais,dos magistrados.
Já na cachoeira o sincretismo foi com São João Batista, por causa do batismo de Jesus, de lavar a cabeça na água doce para se purificar. Com o poder do fogo de Xangô é queimado, destruído tudo o que é de ruim e ocorre a transmutação trazendo tudo o que é de bom, todo o bem possível, de acordo com o nosso merecimento. Isso é o que pedimos nas fogueiras do mês de junho.
Sincretizado também com São Judas Tadeu, tudo o que é ligado a trabalhos e pedidos de estudos, à cabeça, papéis, entregamos a linha de Xangô.
São Pedro é protetor das Almas que entram no céu assim como a Energia de Xangô.
O seu machado duplo Oxé é o símbolo da imparcialidade. É uma divindade da vida, representado pelo fogo ardente e por essa razão não tem afinidade com a morte.  Possui, como símbolo da natureza, a pedra de raio, que se cria quando um raio cai na terra. Carrega também o Xerém, espécie de cabaça que é usada por certas qualidades deste Orixá. Xangô detém um profundo conhecimento e ligação com as árvores, de onde provêm muitos de seus objetos de culto, como a gamela e o pilão.

Características dos Filhos de Xangô

É muito fácil reconhecer um filho de Xangô apenas por sua estrutura física, pois seu corpo é sempre muito forte, com uma quantidade razoável de gordura, apontando a sua tendência à obesidade; mas a sua boa constituição óssea suporta o seu físico avantajado.
Com forte dose de energia e auto-estima, os filhos de Xangô têm consciência de que são importantes e respeitáveis, portanto quando emitem sua opinião é para encerrar definitivamente o assunto. Sua postura é sempre nobre, com a dignidade de um rei. Sempre andam acompanhados de grandes comitivas; embora nunca esteja só, a solidão é um de seus estigmas.
Conscientemente são incapazes de serem injustos com alguém, mas um certo egoísmo faz parte de seu arquétipo. São extremamente austeros (para não dizer sovinas), portanto não é por acaso que Xangô dança alujá com a mão fechada. Gostam do poder e do saber, que são os grandes objetos de sua vaidade.
São amantes vigorosos, uma pessoa só não satisfaz um filho de Xangô. Pobre das mulheres cujos maridos são de Xangô. Um filho de Xangô está sempre cercado de muitas mulheres, sejam suas amantes, sejam suas auxiliares, no caso de governantes, empresários e até babalorixás, mas a tendência é que aqueles que decidem ao seu lado sejam sempre homens.
Os filhos de Xangô são obstinados, agem com estratégia e conseguem o que querem. Tudo que fazem marca de alguma forma sua presença; fazem questão de viver ao lado de muita gente e têm pavor de ser esquecido, pois, sempre presentes na memória de todos, sabem que continuarão vivos após a sua ‘retirada estratégica’.
.




Piada?

Um Pai-de-Santo, para definir bem a influência dos orixás nas pessoas contou uma estória: Simulemos um fato: Imaginem duas pessoas brigando.

Passando um filho de Ogum, ou ele passa direto e nem olha, ou já vai se meter na briga. Um filho de Xangô para, fica olhando, e já começa a reclamar. Coitado do baixinho! Porque será esta briga? Acho que aquele alto não tem razão. E pior, nem sabe brigar. É um fraco. E fica questionando. Um filho de Oxóssi para, senta no chão e, rindo, fica assistindo e se deleitando com a briga. Uma filha de Iemanjá chamaria os dois, colocaria suas cabeças em seu colo e os acalmaria recomendando paz. Uma filha de Iansã já reclamaria e chamaria a polícia. Alguém perguntou:_ E uma filha de Oxum, que faria?

Ele Respondeu:_ Nada, e nem poderia. Os dois estavam brigando por causa dela...