Todos aqueles que possuem sentimentos nobres como amor, solidariedade, humildade e principalmente caridade são bem vindos.
Precisando conversar e/ou receber um passe energético (benzer) estou à disposição todos os dias, para jogar cartas (ler a sorte) somente com hora marcada.
Cobro apenas para ler as cartas R$ 70,00, para manutenção de nossa casa. Qualquer outro tipo de consulta não pode ser cobrada pois na verdadeira caridade não se coloca preço, a verdadeira caridade quem paga é Deus.
Endereço: Rua 22 nº 281 Jardim Morada do Sol Indaiatuba - SP
trabalho assistencial toda sexta feira às 20:00
telefone: 19 995829299
email: d12edani@gmail.com
PEÇO POR GENTILEZA QUE NÃO VENHAM ME PROCURAR PARA FAZER AMARRAÇÃO OU MAGIA BAIXA NÃO ACEITO FAZER ISSO POR DINHEIRO NENHUM DO MUNDO
AGORA SE FOR PRA DESMANCHAR AMARRAÇÃO OU MAGIA BAIXA VENHA CONVERSAR COMIGO

Receba as novidades por email

Translate

terça-feira, 29 de março de 2016

MEDIUM E A VAIDADE


Hoje nos deparamos com muitos casos nos terreiros onde os médiuns se sentem menos importantes que outros.

Vamos definir primeiro que num terreiro de umbanda não existe mais ou menos importante. O que existe são pessoas que ajudam mais e outras menos.

Dentro dessa questão temos:

Aqueles que não ajudam por conta do horário do seu trabalho;

Aqueles que não ajudam pois tem compromissos mais importantes que seu terreiro;

Aqueles que não ajudam pois não são “servos” de ninguém (triste mais já ouvi isso);

Aqueles que não ajudam pois tem filhos pequenos e mais atrapalhariam do que ajudariam;

Aqueles que não ajudam pois estão cansados fisicamente;

Enfim pra não ajudar temos varias desculpas, mas podemos reparar que os que não ajudam são os primeiros a se sentirem sem importância dentro de seu terreiro.

Vejam bem cada um sabe de suas limitações e seu Orixá mais ainda, portanto as desculpas não são para sua mãe/pai no santo e sim para seu próprio Orixá.

O Orixá entende a limitação de cada um, por isso numa casa séria de umbanda a mãe/pai no santo jamais te obrigara a fazer algo que não queira ou não possa. Seu Orixá colocara outras pessoas em seu lugar pois o ritual é necessário e para prepara-lo precisa-se de mãos físicas e dispostas ao serviço.

Antes de achar que você não tem importância para sua casa se pergunte: “O que faço por ela?” “O quanto me dedico a sua manutenção e aos seus rituais?”.

Se a resposta for faço e me dedico muito e ainda assim não me sinto importante. Então você pode estar medindo seu grau de importância pela vaidade ou ate mesmo inveja de seus irmãos. Se ainda assim achar que não é nada disso converse com sua mãe/pai de santo exponha seus sentimentos quebre seu orgulho e se ainda assim continuar a se sentir dessa forma essa casa não te pertence procure uma que te satisfaça.

Quer ajudar em sua casa comece pelo simples: lavar uma louça, varrer um chão, organizar o barracão. Nem sempre você poderá participar de todos os rituais mais poderá sempre contribuir para que o ritual ocorra da melhor forma possível. Pense nisso, reflita sobre suas atitudes, se faça presente não para o dirigente e sim para seu Orixá, com toda certeza saberá que és uma peça fundamental no andamento da casa e no culto aos Orixás.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Piada?

Um Pai-de-Santo, para definir bem a influência dos orixás nas pessoas contou uma estória: Simulemos um fato: Imaginem duas pessoas brigando.

Passando um filho de Ogum, ou ele passa direto e nem olha, ou já vai se meter na briga. Um filho de Xangô para, fica olhando, e já começa a reclamar. Coitado do baixinho! Porque será esta briga? Acho que aquele alto não tem razão. E pior, nem sabe brigar. É um fraco. E fica questionando. Um filho de Oxóssi para, senta no chão e, rindo, fica assistindo e se deleitando com a briga. Uma filha de Iemanjá chamaria os dois, colocaria suas cabeças em seu colo e os acalmaria recomendando paz. Uma filha de Iansã já reclamaria e chamaria a polícia. Alguém perguntou:_ E uma filha de Oxum, que faria?

Ele Respondeu:_ Nada, e nem poderia. Os dois estavam brigando por causa dela...